4 dicas para ganhar recomendações de clientes nas rede sociais

No Comments

Já não é novidade para ninguém o quanto o universo digital se tornou absolutamente indispensável para uma empresa que deseja crescer. O que poucos sabem é como as redes sociais fazem parte desse processo e podem ajudar muito no resultado final.

De fato, aquela imagem de que as mídias sociais servem apenas para as pessoas trocarem fotos pessoais da festa do fim de semana, ou que apenas memes e figurinhas circulam pelas plataformas como o TikTok, por exemplo, é uma visão totalmente desatualizada.

Basta entrar nas maiores redes sociais da atualidade para verificar que, em meio às postagens e bate-papo dos usuários, há um oceano de anúncios e soluções oferecidas, como marmita fit low carb ou qualquer outro assunto sobre o qual a pessoa goste de ler.

Inclusive, temos essa vantagem tremenda da rede social que é o fato de que qualquer empresa pode customizar seus anúncios, pagando para aparecer apenas para usuários que tenham o perfil do seu público-alvo.

Ora, antigamente veículos como televisão e rádio só eram acessíveis a poucas marcas, e ainda assim nada garantia como a distribuição e o ibope funcionavam. O cliente podia ou não consumir aquele anúncio, embora o aparelho estivesse ligado e sintonizado.

Já na rede social você pode optar por pagar apenas quando o cliente clicar no seu banner de adesivo transparente personalizado, o que obviamente indica que ele tem um interesse no assunto, muito provavelmente estando em momento de compra.

É justamente aí que entra outro fenômeno que costuma ser subestimado, que é o das recomendações de clientes e seguidores entre si, que funciona mais ou menos como um boca a boca que se dá entre as pessoas, fortalecendo e muito a estratégia.

Tanto é assim que pedir para que os leitores curtam, comentem e compartilhem é uma das falas mais comuns das principais mídias sociais do mundo todo. É justamente quando muitos compartilham que a marca acaba viralizando e crescendo aceleradamente.

O principal erro consiste em pensar que, por se tratar de um ambiente digital, as pessoas não vão ter necessidade de indicar os produtos, serviços e soluções de que mais gostam. No fundo, trata-se de uma tática chamada de “marketing de recomendação”.

Ela já existe no mercado há muitos anos, mas agora está sendo adaptada para as redes sociais. Por isso elaboramos este artigo, mostrando as 4 principais dicas de como ganhar essas recomendações e usar o recurso em sua máxima potencialidade.

Inclusive, um ponto interessante de tudo isso é que hoje essa estratégia evoluiu tanto que já é possível aplicá-la a qualquer segmento, seja uma indústria nichada que fabrica embalagem plástica para doces ou uma loja que vende esses mesmos docinhos.

Tudo de modo que, se o interesse mais urgente e genuíno do leitor é mergulhar de cabeça em dicas simples que podem revolucionar sua realidade comercial em poucos dias, então basta seguir adiante na leitura até a última linha deste material.

Por que ter recomendação é importante?

Antes de tudo, é preciso salientar em que exatamente consiste a importância desse tipo de recurso, para que depois as dicas práticas possam cair em solo fértil, em vez de se perderem em abstrações e conselhos impraticáveis.

O primeiro ponto fundamental do marketing de recomendação adaptado às redes sociais é o de que ele lida com a voz do público-alvo. Ou seja, a empresa sai da famosa redoma ou autorreferência, que geralmente deixa seus donos e gestores cegos.

Ou seja, a marca para de fazer o que ela quer ou considera correto, para simplesmente entender melhor o mercado e tentar agradar realmente o cliente.

Assim, se o foco está em fachada de loja de roupas femininas, primeiro é preciso entender muito bem a jornada de compra que cada uma das compradoras percorrerá. As etapas mais comuns são as seguintes:

  • Reconhecimento de uma dor;
  • Conhecimento e diálogo com sua marca;
  • Inscrição e fornecimento de dados;
  • Nutrição desse contato como lead;
  • Tirada de dúvidas e negociação;
  • Fechamento e fidelização do consumidor.

Ou seja, há uma grande distância entre a pessoa descobrir que sua marca ou sua solução existe (algumas são tão disruptivas que a marca precisa educar o público do absoluto zero) e se tornar um cliente satisfeito e disposto a indicar o produto.

Atualmente, o mercado chama essa última etapa de “evangelização”, pois ela consiste não apenas na satisfação do cliente, que pode ser passiva, mas na disposição ativa que ele assume de indicar sua empresa e até defendê-la caso alguém venha falar mal dela.

Ou seja, é vital compreender tudo isso antes de começar a implementar recursos que façam com que o cliente realmente recomende sua marca nas redes sociais, trazendo a expansão mais sólida de todas, que é a do crescimento orgânico.

1. O marketing de conteúdo

Pode ter certeza de que é praticamente impossível agradar os clientes se você ficar falando em promoções, preços e prazos o tempo todo.

Na verdade, esse tipo de marketing era conhecido como 1.0, sendo bastante antigo. Hoje temos o formato do marketing 4.0, que remete também ao cliente 4.0.

Ou seja, clientes que desejam ter uma relação muito mais interessante com as marcas, buscando experiências que sejam marcantes e capazes de agregar valor.

Se tem algo que pode ajudar nisso atualmente é o marketing de conteúdo, também conhecido como inbound, em contraste com o outbound. No segundo caso, a empresa faz vendas ativas, falando somente no produto ou serviço prestado.

Já no primeiro caso, uma empresa de harmonização facial pode fazer uma venda passiva, criando conteúdos originais, agradáveis e que estabelecem uma relação de médio e longo prazo com o público-alvo.

É justamente esse o espírito de recomendação de clientes nas redes sociais. Afinal, basta parar para pensar: é mais fácil o cliente compartilhar um banner que só sabe focar na solução comercializada, ou um post do tipo “X facilidades que tal produto traz à sua vida”?

Obviamente, o segundo cenário é o mais provável. Inclusive, hoje o inbound ou marketing de conteúdo cresceu tanto que ele já pode ser adaptado a vários formatos, indo desde posts e artigos comuns, até vídeos explicativos, lives, podcasts, e-books e afins.

Portanto, quanto mais interessantes forem os conteúdos criados, maiores serão suas taxas de compartilhamento e suas chances de viralizar sua marca.

2. Pense na experiência do cliente

Outro modo de crescer organicamente e ganhar recomendações de clientes nas redes sociais é pensando neles de modo mais completo ou holístico, como se diz hoje em dia.

Isso segue um pouco na linha do que foi dito antes, de que o cliente quer experiências memoráveis, e não apenas negociações frias e desanimadoras.

Tanto que hoje se utiliza o termo UX (User Experience), que ajuda uma gráfica que faz cartão de visita salão de beleza a se perguntar se o cliente gosta do seu conteúdo, além de como está o atendimento, a frequência de postagens, o layout e daí em diante.

Por exemplo, se o seu layout for pensado em termos mobile, de adaptação automática para celulares e tablets, pode ter certeza que o lead ou cliente vai gostar bem mais de consumir seu material, caso prefira utilizar dispositivos móveis.

Assim, ele também indica mais a sua marca, compartilhando os conteúdos e tornando o processo muito mais promissor e vantajoso para os dois lados.

3. Seja ativo no esforço

Também é comum o erro de ficar apenas esperando que os leads e visitantes tenham a boa vontade de fazer recomendações do seu negócio.

Ora, na verdade é preciso ter estratégias ativas nesse sentido, conduzindo a vontade do cliente de modo sutil, como por meio do CTA (Call to Action), que é o chamado para ação.

Acredite, às vezes o visitante adora ler publicações de clínicas de fonoaudiologia, mas nunca curtiu, comentou ou compartilhou simplesmente porque a empresa não pede isso, então ele se esquece ou não se sente estimulado.

Portanto, é fundamental ser ativo nessa estratégia, colocando ela no centro das atenções e desenvolvendo recursos que favoreçam a recomendação por parte do cliente.

4. Vá além e dê algo em troca

Por fim, caso você ainda se sinta um pouco inibido em pedir que os clientes recomendem sua marca ou não esteja conseguindo obter os melhores resultados nesse sentido, é necessário ir além.

A melhor maneira de fazer isso é oferecendo algum bônus ou plus para quem fizer o que você espera que seja feito. Se o produto da empresa for baratinho, é possível oferecer algumas unidades gratuitas.

Se for um serviço, considere uma garantia estendida ou uma instalação sem custos. Mas, claro, produtos de maior valor agregado, como letra caixa com LED podem ter a opção de oferecer vantagens digitais mesmo.

Por exemplo, o recebimento de newsletters ou de um e-book, que podem servir como isca para convidar os clientes e seguidores a recomendarem seu perfil.

Conclusão

O marketing de recomendação existe há muitos anos, mas as redes sociais e a internet como um todo vieram para dar uma oxigenada nesse recurso.

Com as dicas e informações trazidas acima, torna-se mais simples e até mais seguro poder contar com que os clientes façam recomendações em sua mídia social.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

    Sobre o Blog

    Uma máquina de projetos de sucesso! Há mais de 14 anos somos especialistas na geração de resultados para nossos clientes. Veja nossas dicas e notícias aqui no Blog da 4 Cores Comunicação.

    Oferecemos serviços profissionais de SEO que ajudam os sites a aumentar drasticamente sua pontuação de busca orgânica para competir pelas classificações mais altas, mesmo quando se trata de palavras-chave altamente competitivas.

    Últimas do Blog

    Veja todos os posts

    Deixe sua Mensagem